Antiga entrevista com Francisco Parreira.

Francisco Parreira, aficionado, embalsamador, embolador e criador de cavalos.

Relembrar a Corrida comemorativa dos 35 anos do Grupo da Tertúlia.

No ano que comemoram 45 anos, relembro a Corrida comemorativa dos 35 anos do Grupo da Tertúlia.

outubro 31, 2007

Capas dos Semanários Taurinos de 31 de Outubro

outubro 29, 2007

Morreu um Amigo…um Forcado

Luís Fagundes

Ainda penso que é mentira, o meu amigo Luís faleceu.
O acidente ocorreu bem próximo da minha casa, eu não queria acreditar, não podia ser verdade, mas infelizmente era a mais pura e triste realidade.
Já conhecia o Luís Virgínia, como era conhecido, à algum tempo, mas à cerca de um ano com o inicio do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande, conheci-o ainda melhor. Era um amigo puro.
Ele não gostava, eu sei, mas eu chamava-o de Noddy, brincava-mos com isso porque na primeira vez em que o pus à frente de uma vaca, com os nervos à flor da pele não colocou a barreta no seu devido lugar. No citar era um exemplo para a malta, pois elevava os seus dotes vocais ao limite, quando o punha a contra caras no alto da sua pequenez dizia, “ò Duarte põe-me a fazer tudo menos contra caras, não vez o meu tamanho”, mas ele ia para onde eu o mandasse e aplicava-se sempre em tudo o que fazia, queria fazer tudo perfeito. Na cara dos novilhos era valente e destemido, estou vendo aquele derrote violento que levou do novilho na praça da Florestal.
Depois dos treinos com vacas, onde a sua postura era irrepreensível, lá ia ele a minha casa com os DVD’s discutir o que estava mal e apontar o que de bom se fazia. Quando nos encontrava-mos na sua oficina eram horas a falar de toiros, da ultima vez em que lá estive disse-lhe “P**** Luís quando eu venho aqui nem eu faço nada, nem tu. Vou-me embora” mal sabia eu que esta era a minha última visita.
Muito triste fiquei por não ter-lhe realizado o sonho de uma volta triunfal à arena. Tu merecias Luís.
Aqui no meu blog deixo a mais pequena e singela homenagem, a um Amigo, a um Forcado.
Que em paz estejas.

Duarte Bettencourt

outubro 24, 2007

Novo Burladero de Outubro


A revista de Outubro da Novo Burladero acaba de sair às bancas, trazendo na capa uma fotografia de um bonito exemplar de toiro de lide da autoria de Arjona,. A edição deste mês trás como títulos de capa “ “Morenito” indulta novilho em Espanha”, “Coudelarias: D’Ornelas e Vasconcellos e “Feiras: Moita, Zafra e Vila Franca de Xira”.
Destaco no seu interior os artigos de David Leandro na sua habitual Tertúlia “NB” com o titulo “Touro vivo ao curral”e de Raúl Caldeira com Puyazos “O “louco” sou eu!”, destaco também as entrevistas a João Camejo e ao coudeleiro Gonçalo D’Ornelas e Vasconcellos.
Mais um número da NB a não perder.

Duarte Bettencourt

outubro 23, 2007

G.F.A.R.G. lança blog na web


O novel Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande, capitaneado por Filipe Pires, acaba de lançar o seu blog na web.
O blog assume-se como um meio de divulgação do grupo e um meio de divulgação da festa brava no geral, visa também contribuir para o enriquecimento dos conhecimentos taurinos de todos os aficionados e manter todos os interessados actualizados em relação à vida do G. F. A. R. G.
Não perca mais tempo e visite o blog dos Amadores do Ramo Grande.

outubro 22, 2007

João Ribeiro Telles Triunfador 2007

Fotografia de Duarte Bettencourt

O mais jovem cavaleiro da Torrinha, João Ribeiro Telles Jr., acaba de ser reconhecido pelos visitantes do Blog Terceira Taurina, como o máximo triunfador da época taurina açoriana. Relembra-se que Telles Jr. toureou entre nós nos dias 29 de Julho e no dia 1 de Julho, incluído no cartel da Feira de São João 2007, da qual venceu o galardão da Melhor Lide a Cavalo.
João Ribeiro Telles Júnior toureou como amador sete temporadas, tendo alternado com várias figuras do toureio equestre mundial, em 2005, mais precisamente a 30 de Outubro, tirou a sua prova de praticante num festival de homenagem a João Vilaverde na praça de toiros de Vila Franca de Xira.
Está assim encontrado o Triunfador da Temporada Taurina Açoriana de 2007 no toureio equestre.

Resultado final da Sondagem “Quem foi o triunfador da temporada taurina açoriana de 2007 no toureio a cavalo?”


Fotografia de Duarte Bettencourt
O Blog Terceira Taurina iniciou, à cerca de um mês, um ciclo de sondagens que visam eleger os triunfadores da temporada taurina açoriana de 2007. Na primeira sondagem realizada sob o titulo “Quem foi o triunfador da temporada taurina açoriana de 2007 no toureio a cavalo?” saiu vencedor incontestável o jovem cavaleiro João Telles Jr. com 104 votos. Ocupou o segundo lugar do pódio o cavaleiro de Valada do Alentejo João Salgueiro com 63 votos e no terceiro posto desta sondagem ficou o cavaleiro terceirense Tiago Pamplona com 53 votos.
A sondagem esteve disponível durante trinta dias, tendo votado 275 visitantes que distribuíram os seus votos da seguinte forma:

João Telles Jr. – 104 votos
João Salgueiro – 63 votos
Tiago Pamplona – 53 votos
João Moura Jr – 14 votos
Ana Batista – 11 votos
Rui Lopes – 11 votos
António Telles – 5 votos
João Pamplona – 5 votos
Rui Salvador – 5 votos
Leonardo Hernandez – 3 votos
António Maria Brito Paes – 1 voto
Jason Palma – 0
Tito Semedo – 0

outubro 16, 2007

Chegou ao fim a temporada taurina na Ilha mais Taurina do Mundo

Fotografia de Duarte Bettencourt

Chegou ontem ao fim a temporada taurina na Ilha Terceira com a realização dos últimos festejos tradicionais, com isso ficou oficialmente aberto o defeso, tempo propicio para o balanço de mais uma temporada.
Aqui nas páginas do Terceira Taurina publicitei 240 festejos, entre touradas, vacadas e bezerradas, destas algumas não se realizaram, outras realizaram-se e infelizmente não tive acesso a elas para as poder divulgar. Por aquilo que me é dado a observar, dificilmente se chegou à tão almejada quantia dos 300 festejos numa só época e se se chegou ou não, pouco interessa pois nunca na vida quantidade foi sinónimo de qualidade.
Sugestões há e de que maneira para a festa brava na Ilha Terceira, na sua vertente popular, tenha melhores dias, espero aqui poder sugerir algumas delas. Para já gostava de convidar os meus estimados visitantes a darem o seu contributo, para assim em conjunto podemos dar melhores sugestões para o bem da nossa tradição.
Em breve espero trazer-vos as estatísticas da temporada da tourada à corda na Ilha de Jesus Cristo.


Duarte Bettencourt

outubro 11, 2007

Site do cavaleiro João Telles Jr


Visite o site do jovem cavaleiro da Torrinha em www.joaoribeirotelles.com e conheça mais sobre esta futura figura do toureio.

outubro 10, 2007

Para Quando?


Já lá vão uns anitos e nada. Muitos a defendem, outros, a sua maioria, nem por isso.
Do que é que eu estou a falar? Da sorte de varas em terras açorianas, é claro.
Defendo a sorte de varas sim senhor, mas com algumas reservas. Não posso admitir que se piquem os toiros em arenas açorianas sem que para isso se tenha criado condições para que a mesma seja implementada, refiro-me por exemplo à falta de uma zona de abate nas próprias praças, já que a sorte suprema está a séculos de distância. Esta reivindicação talvez seja de somenos importância, mas outras há que se exigem, como por exemplo toiros com o mínimo 4 anos, com peso e trapio, para serem lidados por matadores de toiros e em astes limpas. Aí meus amigos, primeiro à que melhorar as enfermarias das nossas praças e dotá-las de condições mínimas para assistir a um toureiro em caso de colhida, mas espera ai um pouco, as praças de São Jorge e Graciosa não dispõem destas infra-estruturas pois não? Mais, nestas ilhas não existem Hospitais, só Centros de Saúde.
Alto e para o baile, então ainda falta muito para termos a sorte de varas em pleno nos Açores.
Dos exemplos que atrás referi um deles esteve à disposição das empresas açorianas esta temporada que agora finda, refiro-me a toiros com 4 anos. Havia no mato da Ilha Terceira toiros com 4 anos e pasme-se, dava para fazer um curro, mas as figuras que cá vieram preteriram os mesmos, assim não se vai lá. Há alguns anos dizia-se que não havia toiros, agora há e estes não se lidam na nossa praça, vão ser lidados à Graciosa (?!).
As faixas prezas todos os anos e em todas as corridas são o único protesto visível, outros por ventura seguem os tramites legais, mas o que é certo é que a sorte de varas nem vê-la.
Já que não se consegue para já a tão almejada sorte de varas, comece-se então por criar condições para que ela surja nas nossas arenas com dignidade e acima de tudo com verdade. Não podemos assistir à lide de novilhos por matadores de toiros, desbastados a serrote na sua única arma de defesa para ainda serem picados, algumas vezes, com puías de toiros, assim não. Haja verdade acima de tudo que depois, com certeza, a sorte de varas surgirá.

Duarte Bettencourt

outubro 05, 2007

Revista Equitação quase nas bancas


por Eduardo Carvalho in Revista Equitação On-Line

"Está quase a chegar às bancas a próxima edição da Revista «Equitação», referente aos meses de Setembro/Outubro.

Entre os temas em destaque, incluem-se reportagens sobre o 87º CSIO Lisboa (tema de capa) e os Campeonatos da Europa - Open de Raides nas Lezírias e Barroca d`Alva, TREC e Dressage, entre outros.

A não perder também um trabalho do Dr. Bruno Caseirão intitulado "Um Gigante a Equitação", alusivo ao Dr. Guilherme Borba.

De leitura obrigatória são igualmente os artigos dos nossos outros prestigiados colaboradores, que número após número enriquecem estas páginas, especialmente concebidas a pensar nos amantes do mundo equestre e tauromáquico. "

outubro 01, 2007

II Tenta Comentada - Doze Ribeiras


Realizou-se sábado passado, dia 29 de Setembro, a segunda tenta comentada incluída no II Ciclo de Tentas Comentadas organizadas pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense.
O dia apresentou-se fresco e com o vento a soprar forte que em certa medida prejudicou o desenrolar das lides.
Os matadores Gomes Escorial e “Parrita” lidaram novilhas de Rego Botelho e da Casa Agrícola José Albino Fernandes, que em minha opinião não deram provas da sua mais valia, para poderem incorporar a vacada das suas ganadarias de origem.
Mais uma vez se notou uma certa descoordenação dos elementos envolvidos no desenrolar do espectáculo, faltando a meu ver um director de lide para organizar melhor toda a envolvência do espectáculo.
Relativamente aos comentários penso que estes deveriam ser mais didácticos e até por que não estes serem durante o desenrolar da lide, assim não só fomentava-se aficion e incutia-se disciplina e conhecimento nos aficionados e restante público presente, que penso que era o objectivo dstas realizações.
No que às lides diz respeito vimos um Gomes Escorial cheio arte, toreria e acima de tudo com conhecimento quanto baste, passeou mais uma vez pela arena da praceta de tentas o perfume da sua arte, a merecer uma oportunidade entre nós, já o seu alternante mostrou vontade e alguma verdura (?). De salientar, pela negativa, as más condições do piso da arena, demasiado pesado para este tipo de espectáculos.
Por ultimo uma pequena chamada de atenção, não deveria a organização proibir a presença de tascas, tão ao gosto do aficionado (?) terceirense, no decorrer de eventos como este? Parece que é impossível nesta ilha de Jesus Cristo haver toiros sem tasca! Penso que devia-mos reflectir sobre isso e tentar melhorar nesse sentido para o ano.


Duarte Bettencourt

Galeria Fotográfica da 2ª Tenta