Antiga entrevista com Francisco Parreira.

Francisco Parreira, aficionado, embalsamador, embolador e criador de cavalos.

Relembrar a Corrida comemorativa dos 35 anos do Grupo da Tertúlia.

No ano que comemoram 45 anos, relembro a Corrida comemorativa dos 35 anos do Grupo da Tertúlia.

janeiro 30, 2011

Tendido Cero de 29/01/2011

janeiro 25, 2011

6 Toros 6

janeiro 24, 2011

"Salienta Arlindo Teles - Monumento ao Toiro é "uma bandeira de afirmação""


"O Monumento ao Toiro, uma escultura com "11 metros de altura e revestida a bronze", sábado inaugurado em São Bento, Angra do Heroísmo, "homenageia a cultura tauromáquica e a sua dimensão na ilha", salientou o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

“É um grande orgulho. É uma bandeira de afirmação no futuro de uma cultura que está muito viva e que representa todo um povo e uma ilha que se revê nesta cultura (a tauromaquia)”, afirmou o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, Arlindo Teles, entidade responsável pelo projecto.

O monumento está colocado na rotunda junto à Praça de Toiros da Ilha Terceira e foi concebido pelo artista plástico terceirense Renato Costa e Silva.

“O monumento é composto por uma estrutura metálica com um conjunto de três toiros, inseridos num cilindro, que estão em posições distintas, que permitem uma interpretação livre das várias formas de toureio”, descreveu Arlindo Teles, acrescentando que "a superfície é coberta por um betão especial composto por cimento, cimento cola, cinza vulcânica e fibra de vidro, com revestimento a bronze, importante para a conservação" da obra.

Além de salientar que o monumento é "um marco da cultura da ilha Terceira", o presidente da Tertúlia destacou ainda a importância da escultura do "ponto de vista plástico", que "já recebeu elogios à escala internacional".

Segundo o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, a obra foi "financiada em 150 mil euros pelo Governo açoriano", contando ainda com "o apoio de mais de 40 empresas e particulares".

A inauguração do monumento constituiu o ponto alto do 45º aniversário da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, que integrou ainda uma homenagem aos sócios fundadores, exibição de um filme com os passos de elaboração do Monumento ao Toiro e lançamento de um selo comemorativo da inauguração da obra.

Cultura taurina

Na ocasião, a presidente da edilidade angrense sublinhou que “o povo terceirense ama, acarinha e vive intensamente a cultura dos toiros”.

“Hoje homenageamos não exclusivamente este animal por todos acarinhado, mas igualmente aqueles que trabalham para que ele perpetue. Homenageamos por isso os

ganaderos, capinhas, pastores, cavaleiros tauromáquicos, toureiros e todos aqueles

que contribuem para que a nossa cultura se mantenha viva e seja intensamente vivida”, acentuou Andreia Cardoso.

No seu entender, o Monumento ao Toiro “é mais uma marca da nossa identidade cultural e devemos lutar todos os dias para que a nossa identidade se mantenha e se afirme”.

Já o secretário regional da Saúde considerou tratar-se de uma “obra de arte, um belo testemunho de amor pela festa brava, com múltiplos significados, que pode constituir um excelente cartaz turístico para Angra”.

“Os aficionados verão neste monumento um toiro, quem não é aficionado verá a relação que existe entre os açorianos e gado bovino, aliás um suporte da nossa economia, tanto na exploração leiteira como na exploração de carne”, adiantou Miguel Correira.

Por outro lado, a nível histórico,” pode ver-se um símbolo da resistência deste povo e a vitória que foi conseguida com a ajuda de toiros ou de rezes bravas, na célebre batalha da Salga”.

Miguel Correia lembrou que, também, no brasão de armas da Região Autónoma dos Açores se podem ver dois toiros, “acorrentados mas certamente livres”."

Monumento ao Toiro

Um video de Fernando Pereira

janeiro 23, 2011

Monumento ao Toiro - Selo Comemorativo

Um video de Fernando Pereira

Monumento ao Toiro - Reconhecimento dos amigos

Um video de Fernando Pereira

janeiro 22, 2011

Monumento ao Toiro










Fotografias de Duarte Bettencourt

janeiro 20, 2011

Empresário João Duarte vetado pela ANGF

O empresário João Duarte foi oficialmente vetado pela Associação Nacional de Grupos de Forcados, em  comunicado inserido no site da referida associação, onde consta que depois de uma reunião num hotel da capital, o empresário radicado na Ilha Terceira se comprometeu a pagar os cachet's até ao final de 2010, aos três grupos de forcados que participaram na XIV Corrida a favor das Misericórdias, que se realizou a 23 Julho de 2010 na Praça de Toiros Ilha Terceira. O empresário depois de não cumprir o acordado na reunião de 5 de Agosto de 2010, foi oficialmente vetado pela ANGF a 20 de Janeiro de 2011.
Para que conste, estes eram os cachet's acordados e com contratos escritos entre ambas as partes:

- Real Grupo de Forcados Amadores de Moura - Contrato nº 9226 no montante de € 1.250,00 (mil duzentos e cinquenta euros);

- Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense - Contrato nº 7255 no montante de € 1.250,00 (mil duzentos e cinquenta euros);

- Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande - Contrato nº 8058 no montante de € 875,00 (oitocentos e setenta e cinco euros).

janeiro 13, 2011

Dicionário Taurino

Aleonado: Com um grande desenvolvimento do terço anterior, lembrando um leão.

Alguacilillo: Segundo a tradição representa a autoridade durante o paseíllo, mandando retirar os transeuntes das arenas para que se procedesse dar lugar ao festejo, é também ele que entrega ao director de curro a chave deste, desempenha ainda funções entre barreiras e recolhe os troféus do toiro entregando-os ao matador de turno.

Alimón: Lance ou sorte que realizam dois matadores, tomando cada um deles um extremo do capote, citando para que o toiro passe por debaixo do capote.

Aliño: Acção de abreviar uma faena, sem qualquer interpretação artística.

Alternativa: Cerimónia em que o matador mais antigo entrega os trastos do toureio ao neófito, com que o converte em matador de toiros.

Alto de agujas: Toiro que tem muita distancia entre a pezunha e a cruz.

Alunarado: Rês de pelagem malhada que sobre o branco apresenta manchas escuras.

Amusgar: Quando o toiro murcha a orelha (para trás), etc., sinal de querer morder, dar coices ou investir.

Anca: Cada uma das duas metades laterais das costas dos cavalos e outros animais. Em bovinos, um pouco para trás e colado aos quadris.

Ancho: Rês, geralmente o macho, com uma distancia grande entre os costados.

Andanada: Localidade coberta para o público, com diferentes níveis.

Andarín: Rês que investe andando não deixando o toureiro colocar-se.

janeiro 11, 2011

Programa Chão Farrapo do sul do Brasil na Ilha Terceira







Cartaz do V Certame de Rejoneio de Atarfe

5 anos 5


Foi no dia 11 de Janeiro de 2006 que esta alma que vos escreve teve a brilhante ideia de fundar um blog sobre tauromaquia, baptizando-o de Terceira Taurina com o slogan de A Ilha mais Taurina do Mundo.
Os dias passaram, os meses também, e já lá vão cinco os anos a manter este meu/vosso blog.
Se Deus quiser espero estar por aqui pelo menos mais cinco anos, trazendo até vós a minhas vivências como aficionado.
Aos meus assíduos visitantes e amigos um obrigado por me visitarem e fazerem com que o TT seja uma referência na blogosfera nacional (sobre tauromaquia é claro).
Saudações taurinas cantando “Parabéns a você ....”

Duarte Bettencourt

janeiro 09, 2011

Inauguração do Monumento ao Toiro


O Monumento ao Toiro, da autoria do artista plástico Renato Costa e Silva, erigido na rotunda junto à Praça de Toiros Ilha Terceira, irá ser inaugurado no próximo dia 22 de Janeiro. Esta inauguração está inserida nas comemorações do 45º aniversário da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, que pelas 16 horas homenageará os  seus sócios  fundadores. Para além da inauguração será feita a emissão de um selo alusivo à nova infra-estrutura.
Pelas 19 horas, nos Paços do Concelho, realizar-se-à uma cerimónia de doação do monumento à autarquia angrense, seguida da apresentação da exposição fotográfica sobre o monumento ao toiro por Hermano Noronha. 

Novo Burladero de Janeiro 2011

6 Toros 6

Juan Manuel Munoz e Fuego XII na Tribuna Lusitana